Comparação Seriada da Miniavaliação Nutricional em Idosos Institucionalizados

DOI: 10.15343/0104-7809.20164003327333

  • Jamile Ceolin Universidade Federal de Santa Maria-UFSM. Santa Maria – RS, Brasil.
  • Loiva Beatriz Dallepiane Universidade Federal de Santa Maria-UFSM. Santa Maria – RS, Brasil.
Palavras-chave: Miniavaliação nutricional. Idoso. Saúde do idoso institucionalizado.

Resumo

Os idosos representam o segmento da população que mais cresce no mundo, e, no Brasil, o envelhecimento
populacional está ocorrendo de forma rápida e progressiva. Apesar de ser um processo natural, o envelhecimento
submete o organismo a diversas alterações, podendo repercutir diretamente no estado nutricional do idoso. Com
base no exposto, este estudo tem como objetivo comparar o estado nutricional utilizando a Miniavaliação nutricional
de idosos moradores em uma instituição de longa permanência, em uma cidade no interior do RS, no período de
2013 a 2014. Trata-se de um estudo quantitativo com análise de dados retrospectivos, extraídos dos prontuários
de idosos institucionalizados de 2013 e 2014, utilizando a Miniavaliação Nutricional (MAN) como instrumento da
pesquisa. A população de estudo foi constituída por 36 idosos, totalizando um percentual de 66,7% do sexo feminino.
O diagnóstico obtido por meio da Miniavaliação nutricional observou que a maioria dos idosos institucionalizados
apresentou risco nutricional em 2013 (61,1%), bem como em 2014 (58,3%). Já em relação à desnutrição o percentual
aumentou de 16,7% para 25% no ano de 2013 para 2014. Em suma, por ser um grupo nutricionalmente vulnerável,
principalmente por se tratar de idosos institucionalizados, as avaliações seriadas se revestem de importância no sentido
de propor intervenção para os casos com alterações nutricionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-07-01
Como Citar
Ceolin, J., & Dallepiane, L. B. (2016). Comparação Seriada da Miniavaliação Nutricional em Idosos Institucionalizados: DOI: 10.15343/0104-7809.20164003327333. O Mundo Da Saúde, 40(3), 327-333. Recuperado de https://revistamundodasaude.emnuvens.com.br/mundodasaude/article/view/262