Qualidade de registros de enfermeiros acerca da avaliação neurológica em unidade especializada

10.15343/0104-7809.202145291298

  • Luize da Silva Rezende da Mota Hospital Geral Roberto Santos. Salvador/BA, Brasil.
  • Mineia Pereira da Hora Assis Secretaria de Saúde do Estado da Bahia-SESAB. Salvador/BA, Brasil.
  • Mavy Batista Dourado Hospital Geral Roberto Santos. Salvador/BA, Brasil.
  • Mabel Olímpia Lima Silva Secretaria de Saúde do Estado da Bahia-SESAB. Salvador/BA, Brasil.
Palavras-chave: Registros de enfermagem. Avaliação em enfermagem. Exame neurológico. Qualidade da assistência à saúde. Unidades de Terapia Intensiva.

Resumo

O registro das ações, observações e avaliações realizadas pela equipe de enfermagem é um meio para gerenciar a assistência, avaliar a qualidade do atendimento e garantir a continuidade do cuidado. O enfermeiro ao realizar o exame neurológico em usuários no pós-operatório de cirurgias intracranianas e o adequado registro, possibilitará a identificação de possíveis alterações que coloquem em risco a vida do usuário após o procedimento. Nesse sentido, o estudo teve como objetivo analisar a qualidade dos registros dos enfermeiros de uma Unidade de Terapia Intensiva especializada quanto à avaliação neurológica de usuários em pós-operatório de cirurgia intracraniana. Trata-se de um estudo retrospectivo, quantitativo, realizado no período de junho a julho de 2019, com analise descritiva. Foram identificadas 134 admissões na unidade de terapia intensiva neurológica, totalizando 536 registros de enfermeiros. Houve predomínio dos registros quanto avaliação do nível de consciência e pupilar (92,5%), em 3,9% possuíam exclusivamente a avaliação pupilar, 2,7% somente o nível de consciência, e em 0,7% ausência de registros. Quanto a completude, 90,7% das avaliações do nível de consciência foram completas e, 84,3% da avaliação pupilar estavam completas. Identificou-se que os registros dos enfermeiros da Unidade de Terapia Intensiva em que se desenvolveu o estudo foram classificados como ótimos, a partir dos parâmetros de qualidade previamente definidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Giolito PCBO. Instrumento para registro dos enfermeiros em uma unidade pediátrica: o uso da metodologia da problematização. Rio de Janeiro. Dissertação [Mestrado Profissional em Enfermagem Assistencial] – Universidade Federal Fluminense; 2015.
2. Conselho Federal de Enfermagem (BR). Resolução Cofen nº 358, de 15 de outubro de 2009. Brasília-DF, 15 out 2009. Disponível em: http:// www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-3582009_4384.html
3. Almeida MM, Macêdo WBS, Azevêdo CAS, Pessoa RMC. Qualidade dos registros de enfermagem em prontuários de gestantes atendidas na estratégia saúde da familía: uma revisão integrativa da literatura. ReonFacema [Internet]. 2017 [acesso em: 23 dez 2019]; jul-set;3(3): 649- 58. Disponível em: https://www.facema.edu.br/ojs/index.php/ReOnFacema/article/view/216/139
4. Val LF, Almeida PSC, Silva GP. Auditoria de enfermagem: fragilidades e potencialidades para melhoria da qualidade da assistência em saúde. Científic@ Multidisciplinary Journal. 2018; 5(3):15-25. DOI: 10.29247/2358-260X.2018v5i3.p15-25.
5. Siqueira EM. Complicações neurológicas e Sistêmicas no Pós-operatório de neurocirurgias. In Diccini S, Ribeiro RM, organizadores. Enfermagem em neurointensivismo. Rio de Janeiro: Atheneu; 2018. p. 211-221.
6. Torres AC, Siciliano MLIP, Diccini S. Interferência e características do edema periorbital no exame pupilar após craniotomia. Acta Paul Enferm. 2015; 28(1):7-12. DOI:10.1590/1982-0194201500003.
7. Barros WCTS, Dal Sasso GTM, Alvarez AG, Ramos SF, Martins SR. Aplicativo para avaliação do nível de consciência em adultos: produção tecnológica em enfermagem. Cogitare Enferm. 2019; 24:e60338. DOI: 10.5380/ce.v24i0.60338.
8. Brennan PM, Murray GD, Teasdale GM. Simplifying the use of prognostic information in traumatic brain injury. Part 1: The GCS-Pupils score: an extended index of clinical severity. J Neurosurg. 2018; 128(6):1612-1620. DOI: 10.3171/2017.12.JNS172780.
9. Namigar T, Serap K, Esra AT, ÖzgülO, CanÖA, Aysel A, et al. Correlação entre a escala de sedação de Ramsay, escala de sedação-agitação de Richmond e escala de sedação-agitação de Riker durante sedação com midazolam-remifentanil. Braz J Anesthesiol. 2017; 67(4): 347-354. DOI: 10.1016/j.bjan.2017.03.006.
10. Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução Nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html
11. Herrero S, Carrero E, Valero R, Rios J, Fábregas N. Monitoramento de pacientes neurocirúrgicos no pós-operatório - utilidade dos escores de avaliação neurológica e do índice bispectral. Rev Bras Anestesiol. 2017; 67(2):153-165. DOI: 10.1016/j.bjane.2015.09.003.
12. Kerr RG, Bacon AM, Baker LL, Gehrke JS, Hahn KD, Lillegraven CL, Renner CH, Spilman SK. Underestimation of Pupil Size by Critical Care and Neurosurgical Nurses. Am J Crit Care. 2016; 25(3):213-9. DOI: 10.4037/ajcc2016554.
13. Santos WC, Vancini-Campanharo CR, Lopes MCBT, Okuno MFP, Batista REA. Avaliação do conhecimento de enfermeiros sobre a escala de coma de Glasgow em um hospital universitário. Einstein (São Paulo). 2016; 14(2):213-218. DOI: 10.1590/S1679-45082016AO3618.
14. Bosco PS, Santiago LC, Martins M. Registros de enfermagem e suas implicações para a qualidade do cuidado. Rev Recien [Internet]. 2019 [acesso em 2020 abr 20]; 9(26):3-10. Disponível em: https://www.recien.com.br/index.php/Recien/article/view/285/pdf_1
15. Nomura ATG, Silva MB, Almeida MA. Qualidade dos registros de enfermagem antes e depois da Acreditação Hospitalar em um hospital universitário. Rev Latino-Am Enfermagem. 2016; 24:e2813. DOI:10.1590/1518-8345.0686.2813.
16. Conselho Federal de Enfermagem (BR). Resolução COFEN nº 0545, de 09 de maio de 2017. Brasília-DF, 9 de maio de 2017. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-no-05452017_52030.html
Publicado
2021-07-27
Como Citar
da Silva Rezende da Mota, L., Pereira da Hora Assis, M., Batista Dourado, M., & Olímpia Lima Silva, M. (2021). Qualidade de registros de enfermeiros acerca da avaliação neurológica em unidade especializada: 10.15343/0104-7809.202145291298. O Mundo Da Saúde, 45(1), 291-298. Recuperado de https://revistamundodasaude.emnuvens.com.br/mundodasaude/article/view/1127