Comportamentos de Risco para Doenças Crônicas Não-Transmissíveis em Acadêmicos de Medicina

10.15343/0104-7809.202145299307

  • Mirna Rossi Barbosa-Medeiros Universidade Estadual de Montes Claros. Montes Claros/MG, Brasil.
  • Mariana Oliveira Silva Universidade Estadual de Montes Claros. Montes Claros/MG, Brasil.
  • Katyane Benquerer Oliveira de Assis Universidade Estadual de Montes Claros. Montes Claros/MG, Brasil.
  • Luiza Augusta Rosa Rossi-Barbosa Universidade Estadual de Montes Claros. Montes Claros/MG, Brasil.
  • Antonio Prates Caldeira Universidade Estadual de Montes Claros. Montes Claros/MG, Brasil.
Palavras-chave: Estudantes de Medicina. Estilo de vida. Fatores de Risco. Doença Crônica.

Resumo

Universitários têm adotado um estilo de vida pouco saudável, assumindo comportamentos que podem contribuir para o desenvolvimento das Doenças Crônicas Não-Transmissíveis (DCNT). Poucos estudos avaliam a coexistência de comportamentos de risco para DCNT entre estudantes de medicina. Este estudo teve como objetivo avaliar a aglomeração de comportamentos de risco para DCNT entre estudantes de medicina e verificar os fatores associados. Trata-se de estudo transversal, realizado com acadêmicos do 3º e 9º períodos de três escolas médicas ao norte de Minas Gerais. Os comportamentos de risco avaliados foram alimentação inadequada, consumo abusivo de álcool, tabagismo e inatividade física a partir de instrumentos previamente validados. A coleta de dados foi realizada nas instituições de ensino com uso de instrumentos previamente validados. Os fatores associados foram identificados por meio de análise múltipla de regressão logística binária. Participaram do estudo 209 estudantes. A prevalência de aglomeração de três ou mais comportamentos de risco para DCNT foi de 22,0%. A análise múltipla, controlada por sexo e faixa etária, revelou que a aglomeração de comportamentos de risco esteve associada à presença de sintomas depressivos (OR=2,22; IC95%=1,09-4,54) e sonolência diurna excessiva (OR=2,15; IC95%=1,07-4,30). Os resultados destacam uma elevada frequência de aglomeração de comportamentos de risco para DCNT no grupo estudado e destacam a necessidade de maior vigilância à rotina e aos aspectos de saúde mental dos estudantes de medicina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Serinolli MI, Novaretti MCZ. A cross-sectional study of sociodemographic factors and their influence on quality of life in medical students at São Paulo, Brazil. Plos One. 2017; 12(7): e0180009.
2. Enns SC, Perotta B, Paro HB, Gannam S, Peleias M, Mayer FB et al. Medical Students’ Perception of Their Educational Environment and Quality of Life: Is There a Positive Association? Acad Med. 2016; 91: 409-17.
3. Pacheco JP Giacomin HT, Tam, WW, Ribeiro TB, Arab C, Bezerra I, et al. Mental health problems among medical students in Brazil: a systematic review and meta-analysis. Rev Bras Psiquiatr. [Internet]. 2017 Dec [cited 2019 Jan 09]; 39(4):369-78. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462017000400369&lng=en. Epub Aug 31, 2017. http://dx.doi. org/10.1590/1516-4446-2017-2223.
4. Paixão LA, Dias RMR, Prado WL. Estilo de vida e estado nutricional de universitários ingressantes em cursos da área de saúde do Recife/PE. Rev Bras Ativ Física Saúde. 2010; 15(3): 145-50.
5. Jardim TV, Sousa ALL, Povoa TR, Barroso WS, Chinem B, Jardim PCV. Comparação entre fatores de risco cardiovascular em diferentes áreas da saúde num intervalo de vinte anos. Arq Bras Cardiol. [Internet]. 2014 Dec [cited 2019 Jan 09]; 103(6): 493-501. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2014002400008&lng=en. Epub Oct 10, 2014. http://dx.doi.org/10.5935/abc.20140150.
6. Joseph N, Chettuvatti K, Yadav H, Bharadwaj H, Kotian SM. Assessment of risk of metabolic síndrome and cardio vascular diseases among medical students in India. J Cardiovasc Dis Res. 2017; 8(3): 89-95.
7. Paro CA, Bittencourt ZZLC. Qualidade de vida de graduandos da área da saúde. Rev. bras. educ. med., Rio de Janeiro. 2013; 37(3): 365-75. Available from .
8. Colares V, Franca C, Gonzales E. Condutas de saúde entre universitários: diferenças entre gêneros. Cad. Saúde Pública [Internet]. 2009 Mar [cited 2018 Nov 20]; 25(3): 521-8. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102- 311X2009000300007&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2009000300007.
9. Ye Y, Wang P, Qu G, Yuan S, Phongsavan P, He Q. Associations between multiple health risk behaviors and mental health among Chinese college students. Psychol Health Med. 2016; 21(3):377-85.
10. Terebessy A, Czeglédi E, Balla BC, Horváth F, Balázs P. Medical students’ health behavior and self-reported mental health status by their country of origin: a cross-sectional study. BMC Psychiatry. 2016; 16:171.
11. Schmidt MT, Duncan BB, Silva GA, Menezes AM, Monteiro CA, Barreto SM, et al. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: carga e desafios atuais. Lancet. 2011; 377 (9781):1949-61.
12. Ben Fredj S, Ghammem R, Maatoug J, Ben Rejeb M, Sahli J, Dendana E, Harrabi I et al. Clustering of lifestyle risk factors in employees: A quasi-experimental study in Sousse, Tunisia. Med Res Arch. 2017; 5(3).
13. Costa FF, Benedet J, Leal DB, Assis MAA. Agregação de fatores de risco para doenças e agravos crônicos não transmissíveis em adultos de Florianópolis, SC. Rev. bras. epidemiol. [Internet]. 2013 June [cited 2018 Nov 20]; 16(2): 398-408. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2013000200398&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S1415- 790X2013000200015.
14. Ryan A, Wallace E, O’Hara P, Smith SM. Multimorbidity and functional decline in community-dwelling adults: a sistematic review. Health Qual Life Outcomes. 2015; 13: 168.
15. Matsudo S, Araujo T, Matsudo V, Andrade D, Andrade E, Oliveira LC, et al. Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ): estudo de validade e reprodutibilidade no Brasil. Rev Bras Ativ Fis Saúde. 2001; 6(2):5-18.
16. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção de Saúde. Vigitel Brasil 2014: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília: Ministério da Saúde; 2015.
17. Schaufeli WB, Martínez IM, Pinto AM, Salanova M, Bakker AB. Burnout and engagement in university students. J Cross Cult Psychology. 2002;33(5):464–81.
18. Borges LO, Argolo JCT. Adaptação e validação de uma escala de bem-estar psicológico para uso em estudos ocupacionais. Aval Psicol. 2002; 1: 17-27.
19. Gorestein C, Andrade L. Inventário de Depressão de Beck: propriedades psicométricas da versão em português. Rev Psiquiatr Clin. 1998; 25(5): 245-50.
20. Johns MW. A new method for measuring daytime sleepiness: The Epworth Sleepiness Scale. Sleep 1991; 14(6):540-45.
21. Yahia N, Brown C, Rapley M, Chung M. Assessment of college students’ awareness and knowledge about conditions relevant to metabolic syndrome. Diabetology & metabolic syndrome. 2014; 6(1): 111.
22. Muniz LC, Schneider BC, Silva ICM, Matijasevich A, Santos IS. Fatores de risco comportamentais acumulados para doenças cardiovasculares no sul do Brasil. Rev. Saúde Pública [Internet]. 2012 June [cited 2019 Jan 19]; 46(3): 534-42. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102012000300016&lng=en. Epub Mar 27, 2012. http://dx.doi. org/10.1590/S0034-89102012005000021.
23. Loch MR, Bortoletto MSS, Souza RKT, Mesas AE. Simultaneidade de comportamentos de risco para a saúde e fatores associados em estudo de base populacional. Cad. saúde colet. [Internet]. 2015 June [cited 2019 Jan 19]; 23(2):180-7. Available from: http://www.scielo. br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-462X2015000200180&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/1414-462X201500020045.
24. Silva KS, Lopes AS, Vasques DG, Costa FF, Silva RCR. Simultaneidade dos fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis em adolescentes: prevalência e fatores associados. Rev. paul. pediatr. [Internet]. 2012 Sep [cited 2019 Jan 19]; 30(3): 338-45. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822012000300006&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/ S0103-05822012000300006.
25. Oliveira ASD, Moreira NF, Moraes ABV, Pereira RA, Veiga GV. Co-occurrence of behavioral risk factors for chronic non-communicable diseases in adolescents: Prevalence and associated factors. Rev. Nutr. [Internet]. 2017 Dec [cited 2019 Jan 19]; 30(6): 747-58. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-52732017000600747&lng=en. http://dx.doi. org/10.1590/1678-98652017000600007.
26. Nunes HEG, Gonçalves ECA, Vieira JAJ, Silva DAS. Clustering of risk factors for non-communicable diseases among adolescents from Southern Brazil. Plos One. 2016; 11(7): e0159037.
27. Paulitsch RG, Dumith SC, Susin LRO. Simultaneidade de fatores de risco comportamentais para doença cardiovascular em estudantes universitários. Rev. bras. epidemiol. [Internet]. 2017 Dez [citado 2019 Jan 19]; 20(4):624-35. Disponível em: http://www.scielo.br/ scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2017000400624&lng=pt. http://dx.doi.org/10.1590/1980-5497201700040006.
28. Silva DAS, Petroski EL. The simultaneous presence of health risk behaviors in freshman college students in Brazil. J Community Health. 2012; 37(3): 591-8.
29. Malta DC, Andreazzi MAR, Oliveira-Campos M, Andrade SSCA, Sá NNB, Moura L et al. Trend of the risk and protective factors of chronic diseases in adolescents, National Adolescent School-based Health Survey (PeNSE 2009 e 2012). Rev. bras. epidemiol. [Internet]. 2014 [cited 2019 Jan 20]; 17(Suppl 1): 77-91. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415- 790X2014000500077&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/1809-4503201400050007.
30. Claro RM, Santos MAS, Oliveira TP, Pereira CA, Szwarcwald CL, Malta DC. Consumo de alimentos não saudáveis relacionados a doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Epidemiol. Serv. Saúde [Internet]. 2015 June [cited 2019 Jan 20]; 24(2): 257-65. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-96222015000200257&lng=en. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742015000200008.
31. Ilow R, Regulska-Ilow B, Rózanska D. Dietary habits of Wroclaw medical university students. Rocz Panstw Zakl Hig. 2017; 68(1): 23-32.
32. Kalka D, Domagala Z, Rusiecki L, Gworys B, Koleda P, Dabrowski P et al. Cardiovascular risk factors among lower Silesian students of the Faculty of Medicine: knowledge and distribution. Adv Clin Exp Med. 2016; 25(2): 341-7.
33. Mee-Kyung S, Jongsoon W, Hyeryeon Y. Prevalence of metabolic syndrome in university students in Korea. Indian Journal of Science and Technology. 2015; 8 (16): 1-7.
34. Pereira EG, Gordia AP, Quadros TMB. Padrão de sono em universitários brasileiros e sua relação com a prática de atividades físicas: uma revisão de literatura. Rev Bras Ciênc Saúde 2011; 9(30): 55-60.
35. Hershner SD, Chervin RD. Causes and consequences of sleepiness among college students
Publicado
2021-07-22
Como Citar
Rossi Barbosa-Medeiros, M., Oliveira Silva, M., Benquerer Oliveira de Assis, K., Rosa Rossi-Barbosa, L. A., & Prates Caldeira, A. (2021). Comportamentos de Risco para Doenças Crônicas Não-Transmissíveis em Acadêmicos de Medicina: 10.15343/0104-7809.202145299307. O Mundo Da Saúde, 45(1), 299-307. Recuperado de https://revistamundodasaude.emnuvens.com.br/mundodasaude/article/view/1119