Perspectivas das mulheres com câncer de mama sobre a saúde

10.15343/0104-7809.202145242249

  • Rebeca Leite Cardoso Universidade Federal de Juiz de Fora campus Governador Valadares- UFJF. Minas Gerais, Brasil.
  • Patrícia Aparecida Baumgratz de Paula Universidade Federal de Juiz de Fora campus Governador Valadares- UFJF. Minas Gerais, Brasil.
  • Camila Teixeira Vaz Universidade Federal de Juiz de Fora campus Governador Valadares- UFJF. Minas Gerais, Brasil.
Palavras-chave: Saúde. Percepção. Autoavaliação Diagnóstica. Neoplasia mamária.

Resumo

A compreensão dos aspectos constitutivos da saúde, a partir do olhar das mulheres com câncer de mama, pode colaborar para as tomadas de decisões profissionais e com o plano terapêutico, ampliando os aspectos fundamentais durante o processo do cuidado. O presente estudo objetivou investigar a autoavaliação da saúde e conhecer as percepções de saúde de mulheres participantes do grupo operativo “Guerreiras” e atendidas no Centro Estadual de Atendimento Especializado (CEAE). Foi realizado um estudo transversal, quali-quantitativo, com 15 mulheres que receberam o diagnóstico de câncer de mama. Os dados foram coletados por dois questionários e pelo grupo focal. As participantes possuíam idade mediana de 51 anos, cor parda, sem companheiro(a), aposentada, com ensino médio escolar e renda familiar menores que três salários mínimos e média de dois anos e 6 meses de pós-cirúrgico e três anos e sete meses pós-diagnóstico. A análise categórica dos depoimentos colhidos por meio do grupo focal revelou saúde como: ausência de doença, bem-estar e espiritualidade; e a autoavaliação de saúde mostrou que a maioria dessas mulheres percebem a sua condição de saúde como moderada. Conclui-se que apesar da permanência da visão de saúde como contraposição à doença e sinônimo de bem-estar, as perspectivas sobre saúde do grupo estudado incorporam, ainda, o estado de superação, enfrentamento, valorização da vida, adaptações, crenças, valores e autoconfiança. Dessa forma, amplia-se a visão sobre saúde a partir da percepção da paciente, não focando apenas, no estado em que há a remissão da doença.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Ministério da saúde (Brasil). Departamento de informática do SUS - DATASUS. Informações de Saúde (TABNET). Estatísticas Vitais: Mortalidade geral; 2019. [acesso em 17 de outubro de 2019]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sim/cnv/ obt10uf.def
2. Ministério da saúde (Brasil). INCA. Estimativa 2020: incidência de câncer no Brasil [livro eletrônico]. Rio de Janeiro: INCA; 2019. Acesso em 18 de outubro de 2019. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files/media/document/estimativa- 2020-incidencia-de-cancer-no-brasil.pdf
3. Saretto CB, Heller P, Brol AM. Fisioterapia em oncologia: A implantação de um serviço ambulatorial. Seminário De Iniciação Científica E Seminário Integrado De Ensino, Pesquisa E Extensão. 29 ago 2014; Joaçaba – Extensão:239.
4. Amaral J. O impacto da fisioterapia na qualidade de vida de doentes oncológicos internados em cuidados paliativos. Porto (Portugal): Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, 2012. Dissertação de Mestrado.
5. Canguilhem, G. O normal e o patológico. Trad. Maria Thereza Redig de Carvalho Barrocas. 7ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária; 2012.
6. Silva MJS, Schraiber LB, Mota A. O conceito de saúde em Saúde Coletiva: contribuições da crítica social e histórica da produção científica: contribuições da crítica social e histórica da produção científica. Rev. Saúde Colet. UEFS, [revista em Internet] 18 de abril de 2019; [acesso 18 de abril de 2019]; 29(1):1-19. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/physis/v29n1/pt_0103-7331-physis-29- 01-e290102.pdf
7. Costa, J M M. Qualidade de Vida na Mulher em Quimioterapia por Cancro da Mama: Estudo de Coorte Prospectivo. Porto: Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto, 2010. Dissertação (Mestrado) de Curso de Oncologia.
8. Jylhä, M. O que é a autoavaliação da saúde e por que ela prediz a mortalidade? Rumo a um modelo conceitual unificado. Soc. sci. med. 2009;69(3):307-316.
9. Flick, U. Introdução à pesquisa qualitativa. O desenho da pesquisa qualitativa. 3ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2009, p. 20-49.
10. Trad, L. Grupos focais:conceitos, procedimentos e reflexões baseadas em experiências com o uso da técnica em pesquisas de saúde. Rev. Saúde Colet. UEFS. 2009;19(3):777-796.
11. Kitzinger, J. Grupos focais com usuários e profissionais da atenção à saúde (cap. 3). In: Pope, C.; Mays, N. Pesquisa qualitativa na atenção à saúde. 2ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2006.
12. Bardin, L. Análise de Conteúdo: A analise categorial. Lisboa, Portugal: Edições 70; 1977.
13. Campos JA, Spexoto MC, Silva WR, Serrano SV, Marôco J. Organização Europeia para Pesquisa e Tratamento do Câncer Questionário Básico 30 de Qualidade de Vida: modelos fatoriais em pacientes brasileiros com câncer. Einstein. 2018;16(1).
14. EORTC. EORTC QLQ-C30 Manual de pontuação: Unidade de Qualidade de Vida do Coordenador do QL. Bélgica. [publicação na web]; 2001 acesso em 20 de abril de 2018. Disponível em: https://www.eortc.org/app/uploads/sites/2/2018/02/SCmanual.pdf
15. Gozzo O.T, Aguado G, Tomadon A, Sanches M, Prado M. Perfil de mulheres com linfedema no pós-tratamento de câncer de mama. Esc. Anna Nery Rev. Enferm, [revista em Internet.] 30 de setembro de 2019; [acesso 8 de julho de 2020]; 23(4):1-7. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ean/v23n4/pt_1414-8145-ean-23-04-e20190090.pdf
16. De Assis EA, Barreto ML, & Lima KBE. Perfil sociodemográfico do câncer de mama na Bahia nos anos de 2013 a 2018. Textura, [revista em Internet] 20 de agosto de 2019; [acesso 8 de julho de 2020];13(21):104-113. Disponível em: https://textura.famam.com. br/textura/article/view/350
17. Höfelmann DA, dos Anjos JC. Autoavaliação de Saúde e Câncer de Mama em Mulheres de Cidade do Sul do Brasil. Rev. Bras. Cancerol, [revista em Internet] 29 de junho de 2012; [acesso 13 de maio de 2020];58(2):209-22. Disponível em: https://rbc.inca.gov. br/revista/index.php/revista/article/view/621
18. Spatuzzi R, Vespa A, Lorenzi P, Miccinesi G, Ricciuti M, Cifarelli W, Susi M, Fabrizio T, Ferrari M, G, Ottaviani M, Giulietti M, V, Merico F, Aieta M. Avaliação do Suporte Social, Qualidade de Vida e Imagem Corporal em Mulheres com Câncer de Mama. Breast care. 2016;11(1):8-32.
19. Bouskill, K., Kramer, M. O impacto do câncer e da qualidade de vida entre sobreviventes de longo prazo do câncer de mama na Áustria. Support. care cancer. 2016;24:4705–4712.
20. Yanez B., Gibbons M. M., Moreno I. P., Jorge A. & Stanton L. A. Preditores de resultados psicológicos em um estudo longitudinal de sobreviventes de câncer de mama latinas.
Rev. Psicol. Saúde. 2016;31(11):1359-1374.
21. Kagawa-Singer M, Padilla GV, Ashing-Giwa K. Qualidade de vida e cultura relacionadas à saúde. Semin. Oncol. Nurs. 2010;26(1):59– 67.
22. Shimizu H.E. et al. A estrutura das representações sociais sobre saúde e doença entre membros de movimentos sociais. Ciênc. Saúde Colet., 2015;20(9):2899-2910.
23. Braun V, Clarke V. Usando análise temática em psicologia. Qual Res Psychol. 2006;3(2):77-101(16).
24. Lefèvre F, Lefèvre AMC. Saúde como negação da negação: uma perspectiva dialética. Rev. Saúde Colet. UEFS, [revista em Internet] janeiro-abril de 2007; [acesso 18 de maio de 2020]; 17(1):15-28. Disponível em: http://www.scielo.br/cgi-bin/wxis.exe/iah
25. Organização Mundial de Saúde (OMS). Constituição da organização mundial da saúde: A emenda a este artigo adotada pela Trigésima primeira Assembleia Mundial da Saúde, 2005 acesso em 17 de outubro de 2018. Disponível em: https://apps.who.int/gb/ bd/PDF/bd47/EN/constitution-en.pdf
26. Alves DG, Assis MR. O desenvolvimento religioso e espiritual e a saúde mental: discutindo alguns de seus significados. Conex. PSI. 2015;3(1):72-100.
27. Marques, LF. A saúde e o bem-estar espiritual em adultos portoalegrenses. Psicol. ciênc. prof., [revista em Internet] 18 de março de 2003; [acesso 7 de julho de 2020];23(2):56-65. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/pcp/v23n2/v23n2a09.pdf
28. Höfelmann DA, dos Anjos JC. Autoavaliação de Saúde e Câncer de Mama em Mulheres de Cidade do Sul do Brasil. Rev. Bras. Cancerol, [revista em Internet] 29 de junho de 2012; [acesso 13 de maio de 2020];58(2):209-22. Disponível em: https://rbc.inca.gov. br/revista/index.php/revista/article/view/621
Publicado
2021-07-02
Como Citar
Leite Cardoso, R., Baumgratz de Paula, P. A., & Teixeira Vaz, C. (2021). Perspectivas das mulheres com câncer de mama sobre a saúde: 10.15343/0104-7809.202145242249. O Mundo Da Saúde, 45(1), 242-249. Recuperado de https://revistamundodasaude.emnuvens.com.br/mundodasaude/article/view/1110