Categorias das fake news sobre COVID-19 disseminadas no primeiro ano da pandemia no Brasil

10.15343/0104-7809.202145221232

  • Maria Rosilene Cândido Moreira Universidade Federal do Cariri, Faculdade de Medicina e Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Juazeiro do Norte, Ceará, Brasil.
  • José Auricélio Bernardo Cândido Prefeitura Municipal de Horizonte, Estratégia Saúde da Família, Horizonte, Ceará, Brasil.
  • Severino Ferreira Alexandre Prefeitura Municipal de Horizonte, Estratégia Saúde da Família, Horizonte, Ceará, Brasil.
  • Geanne Maria Costa Torres Prefeitura Municipal de Salitre, Estratégia Saúde da Família, Salitre, Ceará, Brasil.
  • Cícero Marcelo Bezerra dos Santos Universidade Federal do Cariri, Faculdade de Medicina e Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Juazeiro do Norte, Ceará, Brasil.
  • Milena Silva Costa Universidade Federal do Cariri, Faculdade de Medicina e Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Juazeiro do Norte, Ceará, Brasil.
Palavras-chave: COVID-19. Informação Falsa. Mídias Sociais.

Resumo

Objetivou-se analisar as notícias falsas sobre COVID-19 disseminadas no Brasil, durante o primeiro ano da pandemia no país. Estudo do tipo documental, cujo material de investigação foi composto pelas fake news inseridas na Plataforma Coronaverificado.news até o dia 27 de fevereiro de 2021, totalizando 938 notícias, que foram submetidas ao software IRaMuTeQ, resultando na Classificação Hierárquica Descendente e possibilitando a clarificação de quatro categorias temáticas, analisadas com apoio teórico-metodológico da Hermenêutica-dialética. Os resultados revelaram as redes sociais como os veículos mais utilizados para envio das notícias falsas (n=625; 66,6%), cujos conteúdos foram predominantemente textos (n=488; 52%). Na categorização dos assuntos, “Governo e autoridades” foi a categoria que concentrou os conteúdos mais disseminados (56,6%), seguida de “Desenvolvimento e aplicação de vacinas” (14,8%), desvelando a multifacetada abrangência e intenção das fake news, que confundem a população e instigam a adesão às práticas não seguras. É indispensável que os meios de comunicação social funcionem como veículo de conteúdos científicos e técnicos fidedignos acerca das ações de enfrentamento da COVID-19, pois a comunicação verdadeira associada ao compromisso ético dos governantes contribuirá para diminuir o risco de comportamento inadequado das pessoas, auxiliando a adoção consciente de medidas que promovam a saúde global, no contexto pandêmico e pós-pandêmico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Correia M, Isabel TD, Felippe RR, Von BLC. Os cirurgiões e a pandemia do COVID-19. Rev Col Bras Cir. 2020; 47:e20202536. doi: https://doi.org/10.1590/0100-6991e-20202536.
2. Ministério da Saúde (BR). Portaria Nº 188, de 3 de fevereiro de 2020. Declara emergência em saúde pública de importância nacional (ESPIN) em decorrência da infecção humana pelo novo coronavírus (2019-nCoV). Brasília: Ministério da Saúde; 2020.
3. Organização Mundial da Saúde (OMS). WHO Director-General's statement on IHR Emergency Committee on Novel Coronavirus[Internet].2020 [cited May 16, 2020].Available from: https://www.who.int/director-general/speeches/detail/who-director-general-s-statement-on-ihr-emergency-committee-on-novel-coronavirus.
4. Oliveira WK, Duarte E, França GVA, Garcia LP. Como o Brasil pode deter a COVID-19. Epidemiol Serv Saúde. 2020; 29(2):e2020044. doi:https://doi.org/10.5123/s1679-49742020000200023.
5. Garcia LP, Duarte E. Intervenções não farmacológicas para o enfrentamento à epidemia da COVID-19 no Brasil. Epidemiol Serv Saúde. 2020; 29(2):e2020222. doi: https://doi.org/10.5123/s1679-49742020000200009.
6. Ministério da Saúde (BR). Portaria MS/GMNº 356, de 11 de março de 2020. Dispõe sobre a regulamentação e operacionalização do disposto na Lei Nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, que estabelece as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus (COVID-19). Brasília: Ministério da Saúde; 2020.
7. Pennycook G, Rand DG. Lazy, not biased: Susceptibility to partisan fake news is better explained by lack of reasoning than by motivated reasoning. Cognition. 2019; 188: 39-50.
8. Lisboa V. Disseminação de fake news sobre coronavírus preocupa especialistas: Maior parte das informações erradas se refere à prevenção. [Internet]. 2020 [cited May 17, 2020]. Available from: https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2020-02/disseminacao-de-fake-news-sobre-o-coronavirus-preocupam-especialistas.
9. Mesquita CT, Oliveira A, Seixas FL, Paes A. Infodemia, fake news and medicine: Science and the quest for truth. Int J Cardiovasc Sci. 2020; 33(3): 203-05.
10. Guimarães GDP, Silva MC. Fake news à luz da responsabilidade civil digital: O surgimento de um novo dano social. Rev Juríd FA7. 2019; 16(2): 99-114.
11. Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS). Fake News agravam surtos de doenças no país [Internet]. 2019. [cited May 15, 2020]. Available from: https://www.conasems.org.br/fake-news-agravam-surtos-de-doencas-no-pais/.
12. Kanekar AS, Thombre A. Fake medical news: Avoiding pitfalls and perils. Fam Med Community Health. 2019; 7(4):e000142. doi: http://dx.doi.org/10.1136/fmch-2019-000142.
13. Sousa Júnior JH, Raasch M, Soares JC, Ribeiro LVHAS. Da desinformação ao caos: Uma análise das fake news frente à pandemia do coronavírus (COVID-19) no Brasil. Cad Prospecç. 2020;13(2): 331-46.
14. Pachi Filho FF. Apontamentos teórico-metodológicos para a análise de discurso de materiais jornalísticos. Comun Inov. 2013; 14(27):54-62.
15. Fayyad UM, Piatetsky-Shapiro G, Smyth P. The KDD process for extracting useful knowledge from volumes of data. Commun ACM. 1996; 39(11):27-34.
16. Pasquim H, Oliveira M, Soares CB. Fake news sobre drogas: Pós-verdade e desinformação. Saúde Soc. 2020; 29(2):e190342. doi: https://doi.org/10.1590/s0104-12902020190342.
17. Caleiro M. Checando as agências de fact-checking[Internet]. 2020. [cited May 17, 2020]. Available from: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/checagem-de-informacoes/checando-as-agencias-de-fact-checking/.
18. Camargo BV, Justo AM. IRAMUTEQ: um software gratuito para análise de dados textuais. Temas psicol. 2013; 21(2):513-8.
19. MinayoMCS. O desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa em saúde. 13ª ed. São Paulo:Editora Hucitec; 2013.
20. Machiaveli GRM. Fake news: Uma investigação discursiva. Estud linguist. 2019; 48(1):338-53.
21. Governo do Estado do Ceará (BR). Antifake: Governo do Ceará lança agência de checagem de dados e notícias [Internet]. 2020. [cited May 18, 2020]. Available from: https://www.ceara.gov.br/2020/04/29/antifake-governo-do-ceara-lanca-agencia-de-checagem-de-dados-e-noticias/.
22. Governo do Estado do Acre (BR). Lei ordinária Nº 3620, de 5 de maio de 2020. Instituipagamento de multa para quem divulgar por Meio Eletrônico notícias inverídicas sobre epidemias,endemias e pandemias no Estado. Rio Branco: Governo do Estado do Acre; 2020 [cited May 18, 2020]. Available from: https://leisestaduais.com.br/ac/lei-ordinaria-n-3620-2020-acre-institui-pagamento-de-multa-para-quem-divulgar-por-meio-eletronico-noticias-inveridicas-sobre-epidemias-endemias-e-pandemias-no-estado.
23. Governo do Estado da Paraíba (BR). Lei nº 11.659 de 25 de março de 2020. Estabelece multa paraquem divulgar por meio eletrônico notíciasfalsas/“fake news” sobre epidemias, endemias epandemias no Estado da Paraíba.João Pessoa: Governo do Estado da Paraíba; 2020 [cited May 18, 2020].Available from: https://auniao.pb.gov.br/servicos/arquivo-digital/doe/janeiro/marco/diario-oficial-26-03-2020.pdf.
24. Flumignan W. Fake news, coronavírus e o atual cenário brasileiro[Internet]. 2020. [cited May 18, 2020]. Available from: https://www.conjur.com.br/2020-mar-28/wevertton-flumignan-fake-news-coronavirus-atual-cenario-brasileiro.
25. Waszak PM, Waszak WK, Kubanek A. The spread of medical fake news in social media: The pilot quantitative study. Health Policy Technol.2018; 7(2):115-8.
26. World Health Organization (WHO). Draft landscape of COVID-19 candidate vaccines[Internet]. 2020. [cited May 19, 2020]. Available from: https://www.who.int/publications/m/item/draft-landscape-of-covid-19-candidate-vaccines.
27. Ministério da Saúde (BR). Anvisa aprova por unanimidade uso emergencial das vacinas. [Internet]. 2021. [cited Fev 28, 2021]. Available from: https://www.gov.br/pt-br/noticias/saude-e-vigilancia-sanitaria/2021/01/anvisa-aprova-por-unanimidade-uso-emergencial-das-vacinas.
28. Erku DA, Belachew SA, Abrha S, Sinnollareddy M, Thomas J, Steadman KJ, et al. When fear and misinformation go viral: Pharmacists' role in deterring medication misinformation during the 'infodemic' surrounding COVID-19. Res Social Adm Pharm. 2021; 17(1):1954-63. doi: https://dx.doi.org/10.1016%2Fj.sapharm.2020.04.032.
29.Adamcheski JK, Wieczorkievicz AM. Motivos que levam os idosos a não aceitarem a vacina contra o vírus influenza. Saúde Meio Ambient. 2012; 1(2): 117-29.
30. Chossani FW. O registro do óbito em tempos de COVID-19[Internet]. 2020. [cited May 18, 2020]. Available from: http://www.arpensp.org.br/?pG=X19leGliZV9ub3RpY2lhcw==&in=OTQzNDc=#_ftn7.
31. Ministério da Saúde (BR). Protocolo de manejo clínico para o novo coronavírus (2019-nCoV). Brasília: Ministério da Saúde; 2020.
32. Souza NKVM, Ramalho GG, Maldonado TC, Viegas AM, Laura B, Daniel N et al. Pandemia por COVID-19 no Brasil: análise da demanda e da oferta de leitos hospitalares e equipamentos de ventilação assistida segundo diferentes cenários. Cad. Saúde Pública. 2020; 36(6): e00115320. Dói: https://doi.org/10.1590/0102-311x00115320.
33.Ferreira GM, Oliveira IC, Cândido EL, Moreira MRC. Falsas terapêuticas contra COVID-19 veiculadas em redes sociais. In: Machado MCFP (org). Saúde Pública no século XXI: pandemia de COVID-19. [Internet]. 2020. [cited Mar 07, 2021]. Available from: https://editoraomnisscientia.com.br/editora/livros/04301018.pdf.
34. Zhang J, Xie B, Hashimoto K. Current status of potential therapeutic candidates for the COVID-19 crisis. Brain Behav Immun. 2020; 87:59-73.
35. Yazdany J, Kim, AHJ. Use of hydroxychloroquine and chloroquine during the COVID-19 pandemic: What every clinician should know. Ann Intern Med. 2020; 172(11):754-5. doi: https://doi.org/10.7326/M20-1334.
36. Conselho Federal de Medicina (BR). Processo-consulta CFM Nº 8/2020 – Parecer CFM Nº 4/2020. Tratamento de pacientes portadores de COVID-19 com cloroquina e hidroxicloroquina [Internet]. 2020. [cited May 15, 2020]. Available from: https://www.reumatologia.org.br/site/wp-content/uploads/2020/04/PROCESSO-CONSULTA-CFM-n%C2%BA-8.2020.pdf.
37. Sociedade Brasileira de Infectologia (BR). Diretrizes para o tratamento farmacológico da COVID-19: Consenso da Associação de Medicina Intensiva Brasileira, da Sociedade Brasileira de Infectologia e da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia [Internet]. 2020. [cited May 19, 2020]. Available from: https://www.infectologia.org.br/admin/zcloud/125/2020/05/97a9b85bc883622481e642a4714063027e35084002b20f7c48851d05bc3e20e4.pdf.
38. Ministério da Saúde (BR). Orientações do Ministério da Saúde para manuseio medicamentoso precoce de pacientes com diagnóstico da COVID-19[Internet]. 2020. [cited May 20, 2020]. Available from: https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/May/20/orientacoes-manuseio-medicamentoso-covid19.pdf.
39. World Health Organization (WHO). Solidarity therapeutics trial produces conclusive evidence on the effectiveness of repurposed drugs for COVID-19 in record time[Internet]. 2020. [cited May 20, 2020]. Available from: https://www.who.int/news/item/15-10-2020-solidarity-therapeutics-trial-produces-conclusive-evidence-on-the-effectiveness-of-repurposed-drugs-for-covid-19-in-record-time.
40. Tuite AR, Fisman DN. Reporting, epidemic growth, and reproduction numbers for the 2019 novel Coronavirus (2019-nCoV) epidemic. Ann Intern Med. 2020; 20:35-38.
41. Diaz-Quijano FA, Rodriguez-Morales AJ, Waldman EA. Translating transmissibility measures into recommendations for coronavirus prevention. Rev Saúde Pública. 2020; 54:43. doi: http://dx.doi.org/10.11606/s1518-8787.2020054002471.
Publicado
2021-04-27
Como Citar
Cândido Moreira, M. R., Auricélio Bernardo Cândido, J., Ferreira Alexandre, S., Costa Torres, G. M., Bezerra dos Santos, C. M., & Silva Costa, M. (2021). Categorias das fake news sobre COVID-19 disseminadas no primeiro ano da pandemia no Brasil: 10.15343/0104-7809.202145221232. O Mundo Da Saúde, 45(1), 221-232. Recuperado de https://revistamundodasaude.emnuvens.com.br/mundodasaude/article/view/1067